O Olhar sistêmico

17/02/2013 14:39

Alguém conhece o ditado: melhor prevenir do que remediar? Acho que ele está um pouco esquecido ultimamente! Se é que já foi levando em consideração verdadeiramente! Bom, resgatei-o nestes últimos meses, afinal, foram necessárias 154 pessoas morrerem para reverem o espaço aéreo brasileiro, uma modelo morrer para repensarem o padrão de beleza atual e uma mulher ficar paraplégica por espancamento para ser formulada a Lei Maria da Penha. Exemplos não são escassos, estes estão em voga, mas todos conhecem ao menos uma situação onde foi preciso a desgraça bater na porta para o conserto fazer-se presente. Porque esperamos burlar o limite para tomarmos uma providência? Sei que cada leitor possui suas conclusões que expliquem esta prática, talvez já naturalizada em nossa cultura. Vou então expor-lhes minhas reflexões a respeito.
Acredito que falta-nos uma visão sistêmica. Esta visão contrapõe-se à visão cartesiana de causa e efeito. Exemplificando, pensem em uma parede: se dou um soco nela OU machuco a minha mão OU quebro a parede (apesar da primeira opção ser a mais razoável no meu caso!). Agora, se chuto um cachorro o que pode acontecer? Posso machucá-lo OU matá-lo OU levar uma bela de uma mordida OU ele pode sair correndo para longe de mim OU em minha direção, posso também machucar-me...perceberam a diferença? No primeiro exemplo temos 2 opções, no segundo, diversas. Agora, pensem em, ao lado de cada OU, colocar um E. Esta é visão sistêmica! Analisar com antecedência as conseqüências futuras. Trocarmos a expressão "das duas uma" por "várias coisas podem acontecer e não precisa ser somente uma de cada vez". Nesse sentido ampliaremos nossa área de controle e ação. Quando pensamos na repercussão de nossas ações, fica mais fácil escolhermos que caminhos seguir, nos prevenirmos de futuros problemas e melhorar nossa qualidade de vida hoje.
A visão sistêmica está presente em tudo, basta mudarmos nosso olhar e perceberemos que somos expostos a uma cadeia de eventos interligados. Das coisas mais complexas as mais simples. O xadrez, por exemplo: quem sabe jogá-lo tem consciência de que não poderá ganhar caso não atente para todas as possibilidades antes e depois de mover sua peça. Isto é visão sistêmica! Assim como o movimento de cada peça influencia todo o meu jogo, nossas ações influenciam nosso entorno, o nosso "todo". Não há espaço para pensarmos somente no nosso umbigo, já que fazemos parte uma rede interligada de indivíduos. Este pensamento gera humildade em reconhecermos que não somos únicos no universo. Todos são importantes na dinâmica da vida. Além disto, nos traz a consciência de que não tenho o poder de modificar o comportamento alheio, mas tenho o poder de mudar a mim mesmo e, mudando meu comportamento posso influenciar o meu todo para a mudança. Pensem nesta ultima sentença. Sei que vocês têm exemplos de situações em que a mudança de uma pessoa alterou toda uma rotina, para melhor ou não. A visão sistêmica nos dá autonomia em percebermos que não somos vítimas, mas co-responsáveis. Lembro-me de uma situação na empresa que atuei. Pediram-me para demitir um funcionário, pois se o setor não ia bem a culpa era dele. Intervi e sinalizei a importância de avaliarmos todas as possibilidades que contribuíram para a existência do problema, resultado: a demissão não foi realizada, já que o ponto central não residia somente nele, mas na natureza do trabalho e em seu superior imediato, assim, bastaram algumas reformulações e conversas para que a situação fosse sanada "pela raiz". Esta forma de ver a realidade pode e deve ser utilizada em todas as esferas de nossa vida. Uma criança problema pode estar sinalizando questões na família inteira; uma briga conjugal por dificuldade financeira pode ser a gota d'água de uma questão talvez antiga, de confiança, diálogo, respeito.... Em outra esfera, que repercussões podem advir do meu ato de educar? Ou de liderar? Desenvolver a capacidade de observação e questionamento requer permanecermos abertos e flexíveis, sem ater-nos de imediato as primeiras impressões, procurando não pré-julgar. Avaliar uma situação sob apenas um ponto de vista afeta negativamente o resultado podendo gerar, inclusive, mais obstáculos. Vejam como esta visão é importante! Pensemos nisto e comecemos hoje a reavaliar nosso olhar, lembrando que esta é uma prática utilizada tanto para resolver problemas, quanto para achar soluções!
Percebem como este é um pensamento libertador? Ele abre uma gama de possibilidades de ação e nos diz em letras capitais: somos responsáveis uns pelos outros e não precisamos deixar a desgraça acontecer para agirmos! Para cada situação que vivenciarmos, em cada decisão que tomarmos, pensemos sistemicamente, isso é ética, compreensão, humildade, respeito...isto é qualidade de vida!

Milena C. Aragão

Fonte:http://www.paralerepensar.com.br/milena_oolharsistemico.htm

—————

Voltar


Contato

Paula Reis Psicopedagoga Clínica e Institucional- ABPp nº 12506